A- A A+

Cerca de 30 agricultores familiares, pescadores e artesãos de Imbituba e Garopaba participam, desde quinta, dia 04, até 08 de agosto, de uma capacitação em turismo rural promovida pela Secretaria de Turismo, Cultura e Esporte (SOL), por meio do programa SC Rural. Em três dias de treinamento o curso vai abordar temas como planejamento, gestão de negócios, valorização da gastronomia e cultura local, artesanato, inovação, construções sustentáveis, entre outros.  Fotos: Ana Paula Flores

Além de agricultores e pescadores artesanais das duas cidades, pela primeira vez participam integrantes de comunidades quilombolas que residem no Morro do Fortunato, em Garopaba e em Areais da Ribanceira, Imbituba. O curso está sendo desenvolvido em três locais: no primeiro dia ocorreu na sala de aula do centro comunitário quilombola Morro do Fortunato, Garopaba. O segundo encontro foi realizado na sede da Associação Comunitária Rural de Imbituba (Acordi). Já o último ocorrerá em um tradicional rancho de pesca na praia da Ferrugem, em Garopaba.

Um dos focos da capacitação é o turismo de base cultural e comunitária, que busca o envolvimento local no processo de planejamento, gestão e realização das práticas que proporcionam trocas de experiências entre turistas e moradores. A ideia é tornar o empoderamento comunitário um eixo no desenvolvimento de projetos voltados à economia local, à valorização cultural e à preservação da natureza.

Uma das iniciativas da comunidade local é a Feira da Mandioca, realizada há 13 anos. O cultivo da raiz é uma das fontes de renda da região, por meio da venda de quitutes como broa, rosca e bijajica. Maria José Pereira é esposa de um agricultor e ajuda no engenho de farinha da família. Ela pretende usar os conhecimentos do curso para divulgar a associação e contribuir na manutenção da entidade, que possui cerca de 30 associados. Marlene Borges, engenheira agrônoma da Acordi, considerou proveitosa a capacitação: “Pode abrir novas perspectivas para a comunidade”.

Muitos vivem também da pesca artesanal (tainha e anchova), da colheita do butiá (produção de suco, cachaça e geleias) e da produção de artesanato. Além dos alimentos que têm como base a mandioca, eles pretendem vender os itens produzidos pela associação para movimentar a economia local e trazer visitantes à comunidade. Outra ideia a ser implantada é a horta comunitária, com hortaliças orgânicas, com grande apelo de mercado na atualidade.
A consultoria contratada para ministrar as aulas utiliza recursos como trocas de experiências e análise de cases de sucesso, como a Acolhida na Colônia, sediada em Santa Rosa de Lima. Um destaque da capacitação será a alternância: os integrantes terão um final de semana para debater qual projeto irão desenvolver no último dia de curso, quando será organizado o plano de negócios.

 

Na ocasião, os participantes receberam exemplares da cartilha “Turismo Rural na agricultura familiar: conceitos e práticas”. O material pode ser acessado na íntegra neste link. O conteúdo engloba temas como inovação e empreendedorismo, valorização e utilização da gastronomia colonial, uso de produtos orgânicos, aproveitamento dos atrativos turísticos, noções de atendimento nos serviços turísticos e hospitalidade, planejamento e gestão de negócios.

A capacitação faz parte do âmbito de ações do programa SC Rural, que busca apoiar iniciativas de turismo rural, envolvendo as dez regiões turísticas do Estado. É executado em conjunto pelas Secretarias da Agricultura e da Pesca, do Desenvolvimento Econômico Sustentável e de Estado de Turismo, Cultura e Esporte (SOL), Polícia Militar Ambiental, Epagri, Cidasc e Fatma.

 

Ana Paula Flores

Ascom - SOL

 

Mais informações: 

SC Rural

(48) 3665-7428/7450

Desenvolvimento: logo ciasc rodape | Gestão do Conteúdo: SOL | Tecnologia: Open Source | Acesso restrito