A- A A+

Os reflexos do novo coronavírus no turismo e as adaptações necessárias para a retomada das atividades do setor permearam os debates do Conselho Estadual de Turismo (CET) na reunião realizada nesta terça-feira (12), por videoconferência. O colegiado é formado por representantes de todas as regiões de Santa Catarina, de distintos segmentos turísticos e, em tempos de Covid-19, vem atuando como importante mediador entre o setor e a Agência de Desenvolvimento do Turismo (Santur), órgão vinculado ao Governo do Estado.

reuniao CET

O presidente do CET, Nilton Pacheco, reforçou que é importante que toda cadeia produtiva do turismo se ajuste a este novo momento, especialmente no que está relacionado às normas sanitárias. “Só vamos conseguir que o setor siga aberto se todos estiverem cumprindo com as normatizações. Então, meu apelo a todos é que coloquem nos pleitos de vocês que é importante adotar as medidas de segurança e fiscalização, fundamentais para a retomada econômica. A má prestação de serviço vai tornar as coisas mais difíceis”, alertou.

Nesse sentido, o presidente da Santur agradeceu a colaboração e apoio do colegiado nas questões relacionadas à pandemia. “Queremos trabalhar juntos, sabemos que este é um momento complicado e por isso temos que mostrar o que é o turismo e tudo que tem por trás, toda a cadeia produtiva. É o momento de mostrar o quanto o turismo é importante para a economia e que estamos incumbidos de fortalecer o nosso estado”, frisou.

Durante a reunião, o diretor de Marketing da Santur, Carlos Eduardo de Sá, apresentou o programa “Viaje+SC”, que está sendo estruturado para estimular o turismo regional no estado. A primeira fase do programa consiste na criação de um selo para certificar os empreendimentos que respeitam as normas de segurança relacionadas à Covid-19 e oferecem um produto diferenciado ao turista catarinense. “Ao que tudo indica o turismo interno será fortalecido. Esse é o foco do Viaje+SC”, acrescentou o diretor.

Como parte das medidas de recuperação do turismo, também foi explanado sobre as linhas de crédito direcionadas às empresas e profissionais do turismo, via Fundo Geral do Turismo (Fungetur), do Governo Federal, e que serão operacionalizadas pelas agências de fomento do estado, como o Badesc e o BRDE. Para dar mais agilidade na liberação dos financiamentos, conforme explicou Ferrari, a Santur montou uma equipe de apoio que vai atuar junto ao Badesc na análise documental e em outras questões eventuais das propostas de crédito.

Outro tema discutido foi a retomada de atividades de ecoturismo, apresentado pela conselheira Helen Becker, da Região Turística Caminho dos Canyons, com base em uma reivindicação de representantes do segmento. Conforme manifestação de empresas e profissionais, as atividades passariam por uma adaptação, como a redução do número de pessoas nas visitas guiadas, além de ajustes às normas sanitárias, algumas delas já incorporadas ao cotidiano, como o uso de máscara e de higienização de mãos.

Sobre este assunto, o presidente da Santur salientou que, assim como em outros segmentos, a retomada requer a construção de uma base de normas a serem cumpridas e que vão auxiliar e padronizar os procedimentos necessários para garantir um turismo seguro em todas as áreas.

 

JSN Boot template designed by JoomlaShine.com

Desenvolvimento: logo ciasc rodape | Gestão do Conteúdo: SANTUR | Tecnologia: Open Source | Acesso restrito